Homem morre ao ingerir cloroquina, remédio apontado como cura para o coronavírus por Donald Trump e Bolsonaro

Talvez você goste:

Simony Maiahttps://www.thehypestuff.com/
Estudante de jornalismo. Apaixonada pela cultura urbana e fotografia.

O novo coronavírus vem causando grande preocupação na população mundial, e quando a situação parecia não poder ficar pior, começaram a surgir boatos, compartilhados pelos presidentes Donald Trump e Bolsonaro, de que o remédio cloroquina seria a cura do potente vírus. Porém, ele não é, e uma pessoas morreu ao fazer uso dele.

- Publicidade -

Um homem no Arizona de 60 anos faleceu após fazer o uso do cloroquina, sua esposa que também está na casa dos 60 está em estado critico. O casal ingeriu fosfato de cloroquina, um aditivo comumente usado em aquários para limpar tanques de peixes, adoeceu em 30 minutos e foi levado às pressas para um hospital próximo.

É provável que o casal tenha se sentido tentado a experimentar o medicamento depois que Trump disse durante uma entrevista coletiva na Casa Branca na semana passada que o FDA começará a realizar testes com cloroquina ou hidroxicloroquina para determinar sua eficácia no tratamento do coronavírus.

- Publicidade -

Trump afirmou que, uma vez que a cloroquina, utilizada para tratar a malária, existe há algum tempo, “sabemos que se as coisas não saírem como planejadas, não matará ninguém”. O comissário da FDA, Stephen Hahn, tentou alertar as pessoas de que o remédio precisaria ser submetido a testes que durariam “nas próximas semanas”, a fim de descobrir a dosagem apropriada a ser administrada, já que as circunstâncias de cada paciente podem ser diferentes.

“Vamos coletar esses dados e tomar as decisões corretas com base nele sobre a segurança e eficácia dos tratamentos”, afirmou Hahn. “O importante também é não fornecer falsas esperanças. Podemos ter a droga certa, mas pode não estar na forma de dosagem apropriada no momento e pode causar mais mal do que bem”.

Veja abaixo o tweet de Trump e Bolsonaro falando sobre o remédio:

“HIDROXICLOROQUINA E AZITROMICINA, juntos, têm uma chance real de ser uma das maiores transformadoras de jogos da história da medicina. O FDA mudou montanhas – Obrigado! Esperemos que eles AMBOS (H funciona melhor com A, International Journal of Antimicrobial Agents) …..”

 

“Dada a incerteza em torno do COVID-19, entendemos que as pessoas estão tentando encontrar novas maneiras de prevenir ou tratar esse vírus, mas a automedicação não é a maneira de fazer isso”, Dr. Daniel Brooks, Banner Poison and Drug Information Center diretor médico, disse. “A última coisa que queremos agora é inundar nossos departamentos de emergência com pacientes que acreditam ter encontrado uma solução vaga e arriscada que poderia prejudicar sua saúde”.

- Publicidade -

Ultimas notíciais

Rainha Elizabeth fala sobre coronavírus em rara aparição na televisão

No último domingo (6) a Rainha Elizabeth fez uma rara aparição na televisão para falar sobre a pandemia do...

Rainha Elizabeth fala sobre coronavírus em rara aparição na televisão

No último domingo (6) a Rainha Elizabeth fez uma rara aparição na televisão para falar sobre a pandemia do coronavírus que vem devastando a...

Kim Kardashian diz que a quarentena a fez não querer ter mais filhos

Kim Kardashian percebeu que ela definitivamente não quer ter mais filhos desde que se viu obrigada a fazer isolamento social com as suas quatro...

Nikon oferece aulas de fotografia on-line gratuitas neste mês

Como a maioria das pessoas está dentro de casa sob as políticas de isolamento da COVID-19, a Nikon está oferecendo 10 aulas, no valor...

Faculdade de Medicina de Pittsburgh tem resultados positivos em desenvolvimento de vacina para o coronavírus

Cientistas da Faculdade de Medicina da Universidade de Pittsburgh anunciaram nesta quinta-feira (2) que desenvolveram uma vacina potencial contra o SARS-CoV-2, ou seja, o...

Leia também: